Viajar faz bem e aumenta a quantidade de neurônios

O que move o ser humano é a busca pelo prazer!  E quem não sente prazer em viajar? O simples fato de idealizar e planeja uma viagem já causa excitação! Não importa se é para um outro país, estado ou mesmo uma cidade vizinha. A expectativa do que irá conhecer: Os lugares, as pessoas, os sabores são sentimentos que se renovam continuamente dentro dos viajantes.

Estudiosos dizem que viajar “é da nossa natureza”. O psicólogo inglês Howard Gardner demonstrou que viajar dá muito mais felicidade do que o dinheiro ao analisar o grau de satisfação entre uma pessoa que tinha ganhado um bom prêmio na loteria e outra que tinha viajado ou tirado férias mais de uma vez durante o ano.

Uma das explicações para esse sentimento de realização, é a sensação de controle da própria vida, o fato de desenvolver a nossa capacidade de se relacionar com os outros.  A prática também estaria ligada ao aumento de neurônios. Isso porque as experiências vividas durante as viagens criam novos circuitos no nosso cérebro, melhoram a nossa memória e nos estimula à adaptação.

Jeroen Nawijn, pesquisador da NHTV Breda University of Applied Sciences na Holanda, estuda a relação entre viagem e felicidade, e recolheu dados sobre o humor de 481 turistas de 68 nacionalidades diferentes que estiveram em Amsterdã. Ele descobriu que 80% deles se declarava satisfeito com a própria jornada (normalmente o percentual não supera 60%).

Quem viaja tem o que contar e a quem contar. Viaje! Viva histórias! Seja feliz

Estudiosos dizem que viajar “é da nossa natureza”. O psicólogo inglês Howard Gardner demonstrou que viajar dá muito mais felicidade do que o dinheiro. Isso após analisar o grau de satisfação entre uma pessoa que tinha ganhado um bom prêmio na loteria e outra que tinha viajado ou tirado férias mais de uma vez durante o ano.

Uma das explicações para esse sentimento de realização, é a sensação de controle da própria vida, o fato de desenvolver a nossa capacidade de se relacionar com os outros.  A prática também estaria ligada ao aumento da quantidade de neurônios. Isso porque as experiências vividas durante as viagens criam novos circuitos no nosso cérebro, melhoram a nossa memória e nos estimula à adaptação.

Jeroen Nawijn, pesquisador da NHTV Breda University of Applied Sciences na Holanda, estuda a relação entre viagem e felicidade, e recolheu dados sobre o humor de 481 turistas de 68 nacionalidades diferentes que estiveram em Amsterdã. Ele descobriu que 80% deles se declarava satisfeito com a própria jornada (normalmente o percentual não supera 60%).

Quem viaja tem o que contar e a quem contar. Seja feliz! Viaje!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.